Patologia Oral e Regeneração de Defeitos

A prática da cirurgia oral passa, não só pela execução de técnicas mais ou menos complexas, mas sobretudo pela da formação baseada na evidência cientifica, do diagnóstico baseado na história clínica e exames complementares e na execução do melhor plano de tratamento tendo em conta a condição holística do doente e o suporte da ética e deontologia que devem guiar a profissão. Baseamos a nossa comunicação em casos clínicos de patologia cirúrgica variada em que tentamos cumprir estes princípios. Ao longo da apresentação discutiremos a dificuldade do diagnóstico, a necessidade de se discutir o plano de tratamento com os doentes informando-os dos atos a executar, complicações e diferentes possibilidades de gestão da situação clínica, incluindo a cirurgia reconstrutiva dos defeitos provocadas pelas cirurgia. Na fase reconstrutiva discutiremos a sua indicação, os materiais a serem utilizados e sobretudo a sua adaptação ao resultado final, tendo sempre em conta a expectativa do doente. Como Hipócrates referia, tudo se resume a "Primum non nocere, secundum cavere, tertium sanare".

274804682_381568666724273_3494111153913747877_n.png

Dr. Francisco Salvado

- Professor da Faculdade de Medicina de Lisboa (Patologia e Cirurgia Oral e Maxilo Facial)

- Diretor de Serviço do Centro Hospitalar Lisboa Norte

- Investigador do Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa, e do Instituto de Saúde Ambiental da Universidade de Lisboa)

- Fellow do European Board of Oral Surgery