Pontes adesivas: considerações para a prática clínica

Os tratamentos minimamente invasivos associados a técnicas adesivas, que têm como objetivo preservar ao máximo as estruturas biológicas, são tidos como prioritários na medicina dentária moderna.

As pontes Maryland enquadram-se neste tipo de tratamentos e em espaços edêntulos de reduzidas dimensões, como é o caso da ausência de incisivos inferiores, e surgem como uma alternativa menos invasiva à colocação de implantes.

Apoiado em vários casos clínicos, revisito o conceito das pontes adesivas fazendo a apologia da introdução de infra-estruturas de zircónia modificadas na sua confeção. O objetivo destas infra-estruturas é simultaneamente aumentar a resistência estrutural, optimizar a capacidade de adesão à estrutura dentária e facilitar a integração estética.

PCV.jpg

Dr. Pedro Couto Viana

- Médico Dentista, Licenciado pela Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto, 1993.

- Pós - Graduado em Reabilitação Oral pelo I.S.C.S. – Norte, Porto, Portugal, 1995.

 

- Assistente de Prótese Fixa na Licenciatura de Medicina Dentária do I.S.C.S. – Norte, 1995-1999.

 

- Voluntário no apoio à docência da Disciplina de Prótese Fixa da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto, 2002-2005.

- Diretor do Projeto de formação To Learn e Formador nos Cursos de Prótese sobre Implantes e Prótese Fixa.

- Autor do Livro “Prótese sobre Implantes”, publicado em 2008.

- Autor de várias conferências Nacionais e Internacionais na área da Prótese Fixa e Prótese sobre Implantes.